13/12/2017 (75) 99274-4456

Colunas

Ifarma

OPINIÃO: Meninos são meninos, e meninas são meninas, por Paulo Smigura

Por Portal TNews 09/10/2017 às 14:06:24

*Por Paulo Nicolau Smigura

De acordo com a reportagem exibida ontem, no Fantástico, "é lindo e demonstra liberdade de escolha" crianças se comportando como se fossem do sexo oposto. 


O programa mostrou dois irmãos (muito bonitos, diga-se de passagem) que se vestem como meninas, brincam como meninas e fazem tudo mais como meninas. 


E, pior do que isso, ao invés de adotar a imparcialidade, marca do bom jornalismo, a matéria quis passar a idéia de que a postura dos pais em questão era a coisa mais certa e esplêndida do mundo, tudo isso sendo corroborado pela opinião de "especialistas" no assunto.


Agora, a pergunta que não quer calar: Que mentalidade formada tem uma criança para saber o que é certo ou errado sem a influência de seus pais?!


É preciso entender que, independente de orientação sexual, meninos e meninas têm características peculiares que os diferenciam entre si, pelo menos até o dia em que decidirem mudar de sexo. 


Sexo e sexualidade são coisas distintas, eis a questão fundamental. O fato de alguém ser gay, por exemplo, não o retira do sexo ao qual pertence, seja masculino ou feminino. Já a mudança de sexo (direito de qualquer pessoa), é algo totalmente diferente. Isso poderá ser feito mais tarde, quando o indivíduo tiver plena capacidade para decidir. 


A reportagem de ontem abre um precedente perigoso, a de um futuro não muito distante em que escolas infantis sejam compostas por meninos usando vestidos e meninas fazendo xixi em pé, tudo sob o respaldo da liberdade de escolha.


Já não bastassem as preocupações do mundo moderno com acontecimentos cada vez mais inusitados aos nossos olhos, a Globo quer pregar como corretas determinadas condutas que são verdadeiras aberrações. É mesmo o fim dos tempos!


Advogado, especialista em Ciências Criminais, professor de Direito Penal e escritor

comentários